Arquivo da Categoria: Divulgação

ArNovo – 14 de junho no Hotel Termas da Curia

Visando passar do estúdio ao palco, nasce em finais de 2018 a banda ArNovo onde o som das guitarras eléctricas e do piano, a par com a batida, procuram através da música de JRed dar suporte aos estados de alma expressos na poesia de António Arnaut.

O espectáculo “Outros Sinais”, de que a banda ArNovo ´é co-organizadora, assume como narrativa a poesia de António Arnaut.​​

As imagens associadas aos temas que integram o espectáculo potenciam as emoções, sentimentos e memórias que emanam de cada um dos poemas. 

O que guardas no coração? – 23 de março 2019

Chegam até nós a todo momento dados, relatos e evidências de um mundo intoxicado. Não é por acaso que toxic é a palavra do ano 2018 escolhida pelo Oxford Dictionaries. 

A toxicidade está presente em vários graus e em muitas dimensões das nossas vidas: afeta o planeta que habitamos, as construções sociais em que nos movimentamos, as relações que estabelecemos. Como antídoto, propomos um dia de conversas para desintoxicar em três atos. 

  1. Centrar 

  2. Consertar

  3. Concentrar

 O programa do Fé e Cultura procura ajudar a focar no essencial, conhecer exemplos práticos de como descomplicar, promover a dimensão espiritual da vida e ir ao encontro da nossa verdadeira identidade para guardar no coração o que for, de facto, preci(o)so. 

Este é o 28º encontro “Fé e Cultura”, cuja primeira edição remonta ao ano de 1981. Organizados pelo CUMN, estes encontros procuram pôr em diálogo a fé cristã com os temas que moldam o ambiente cultural em que vivemos. É um exercício incontornável para os cristãos, e está inspirado pela dinâmica da Incarnação: a Palavra eterna de Deus que se fez carne no tempo e no espaço dos homens, através de Jesus Cristo. Ele é “Deus-connosco”, o Deus que vem ao encontro da humanidade. Por isso, o diálogo entre a fé e a cultura é um desejo da Igreja, reiterado pelos vários Papas, e por eles dado como missão à Companhia de Jesus. Esta missão foi acolhida pelos Centros Universitários dos Jesuítas em Portugal levando a cabo encontros congéneres noutras cidades: Fé e Justiça (Lisboa – CUPAV), Fé e Ética (Porto – CREU), Fé e Arte (Braga – CAB).

 O encontro “Fé e Cultura” destina-se a um público vasto – crente, não crente e em busca – que com abertura de coração deseje entrar em diálogo com os contributos dos vários convidados. Procurámos trazer a Coimbra nomes reconhecidos por todos, mas também pessoas que têm experiências merecedoras de ser mais conhecidas.

Dia 23 de março no Auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra.

https://www.feecultura.pt/?fbclid=IwAR0n-hSl7yq8f68vRnOz2-DprQmr1-HjamiNxPrMozY7C5u26emoOAlz9KQ

APOIO: Coimbra Canal

50983432_534353850397400_7067854966060220416_n

Ciclo de Concertos de Coimbra – A Cidade Mágica

A 4.ª edição do Ciclo de Concertos de Coimbra (2019) adotou como mote «A Cidade Mágica». Pretende-se assim invocar e de algum modo reabilitar através da música uma certa atmosfera mítica que sobreleva quer da carismática e vetusta cidade universitária do conhecimento, quer da romântica cidade dos estudantes, do Mondego e dos amores de Pedro e Inês. Os 8 concertos que integram esta edição do Ciclo de Concertos de Coimbra (5 dos quais de entrada livre) realizam-se de 15 a 17 de março em alguns dos espaços históricos e contemporâneos mais emblemáticos da cidade. Estes concertos constituirão decerto um contributo importante no sentido de intensificar a qualidade da oferta cultural da cidade, facultando igualmente singulares experiências de fruição estética que resultam da união entre boa música e espaços carregados de ressonâncias históricas e literárias de uma beleza arquitetónica ímpar.

Tiago Nunes, diretor artístico

52372904_814467562261006_6993608579378839552_n

 

 

 

 

 

 

Subordinada ao tema “A cidade mágica” e organizada pela associação Cultur X, a iniciativa propõe-se “recordar Coimbra através da música, o papel importantíssimo que teve na transmissão do conhecimento”, e encerra no dia 17 com uma homenagem a Amália Rodrigues para assinalar os 20 anos da morte da fadista.

Esta evocação de Amália conta com a participação do Alma de Coimbra, coro e grupo de fados, com direção do maestro Augusto Mesquita.

O auditório do Conservatório de Música de Coimbra acolhe os três principais concertos, com Adriano Jordão (21:00), pianista António Victorino de Almeida (21:00) e Alma de Coimbra (18:00), todos no auditório do Conservatório de Música da cidade, nos 15, 16 e 17, respetivamente.

Os restantes espetáculos são apresentados em diferentes espaços da cidade do Mondego: Sé Velha, Igreja de Santa Cruz, Museu Nacional Machado de Castro e Fundação Bissaya Barreto.

O IV Ciclo de Concertos de Coimbra conta com apoios da Fundação Millenium, Banco Crédito Agrícola, Critical Software e Câmara Municipal de Coimbra.

APOIO: Coimbra Canal

VIII Festival Gastronómico da Chanfana – Lousã

O VIII Festival Gastronómico da Lousã é um dos eventos âncora do calendário de animação do Concelho e que cumpre vários objectivos.

O primeiro – e mais óbvio de todos – a promoção desta fantástica iguaria que é a Chanfana, contribuindo, também, para a preservação de toda a cultura gastronómica – e não só – que lhe está associada, como por exemplo a sopa de casamento. Depois, ao associar a este Festival os produtos endógenos – como o Mel DOP Serra da Lousã – ou outros produtos de excelência, como o Licor Beirão ou a doçaria Lousanense, criamos um produto de referência, que todos os anos atrai milhares de comensais à Lousã, concorrendo assim, também, este Festival para a promoção do Concelho e da Região. Este é o segundo objectivo, a que se junta a dinamização económica – em rede e circular – de toda uma cadeia associada à restauração, que vai desde a produção até à degustação final. E finalmente, este ano, na primeira edição depois da Mesa Terras da Chanfana ter conquistado a distinção das 7 Maravilhas, este Festival marca também a colaboração saudável entre quatro Municípios na construção de uma oferta diferenciadora. São 20 Restaurantes em que se pode deliciar com a nossa Chanfana, mas que funcionam como porta de entrada para a descoberta de um Concelho e de uma Região fantástica.

 O VIII Festival Gastronómico da Chanfana decorre num dos 20 restaurantes aderentes, de 22 de fevereiro a 3 de março – organizado pela Câmara Municipal da Lousã – e apoiado pela Turismo do Centro, Aldeias do Xisto, Delta, Cooperativa Lousamel, Licor Beirão, Vinhos Quinta de Foz de Arouce e Fábrica de Pastelaria São Silvestre.

APOIO: COIMBRA CANAL