Arquivo da Categoria: Cinema

‘PEDRO E INÊS’ NOMEADO NOS PRINCIPAIS FESTIVAIS DA AMÉRICA LATINA E PRÉMIOS SOPHIA

‘Pedro e Inês’ o filme português mais visto de 2018, realizado por António Ferreira e protagonizado por Diogo Amaral e Joana de Verona, está nas seleções oficiais dos 35o CLFF
– Chicago Latino Film Festival (que decorre de 28 de março a 11 de abril) e 8o IFF Panamá – International Film Festival do Panamá (que decorre de 4 a 10 de abril), na Shortlist dos Prémios Platino e nomeado em 10 categorias para os Prémios Sophia.
O International Latino Cultural Center of Chicago, entidade que organiza o 35o CLFF – Chicago Latino Film Festival é uma organização pan-latina, sem fins lucrativos, multidisciplinar dedicada ao desenvolvimento, promoção e conscientização das culturas latinas entre os latinos e outras comunidades, apresentando uma ampla variedade de formas de arte e educação, incluindo cinema, música, dança, artes visuais, comédia e teatro.
O IFF Panamá é um dos festivais emergentes da América Latina, com uma seleção de cinema de grande qualidade, que em parceria com o Marché du Film de Cannes, se transformou numa plataforma de lançamento mundial de grande importância. ‘Pedro e Inês’ está selecionado na secção ‘Portal Iberoamericano’.

‘Pedro e Inês’ está também na shortlist dos Prémios Platino, evento que premeia o cinema Ibero-Americano composto por 23 países, com uma produção de 874 filmes em 2018.

O filme está na shortlist de 20 filmes nas categorias de Melhor Filme Iberoamericano de Ficção, Melhor Montagem e Melhor Interpretação Masculina (Diogo Amaral). Trata-se do único filme português ainda na corrida para o prémio de Melhor Filme. A cerimónia de entrega de prémios decorrerá no dia 12 de maio na Riviera Maya, México.
‘Pedro e Inês’ encontra-se nomeado em 10 categorias dos Prémios Sophia da Academia Portuguesa de Cinema, incluindo Melhor Realizador, Melhor Ator Principal, Melhor Atriz Principal e
Melhor Ator Secundário. Os vencedores serão conhecidos na cerimónia a decorrer no Casino do Estoril no próximo dia 24 de março com transmissão na RTP2.
O filme será editado em DVD e nas plataformas de streaming em todos os videoclubes das operadoras NOS, MEO, VODAFONE e NOWO no próximo dia 27 de março. Em julho de 2019, o filme irá estrear em mais de 30 salas no Brasil com distribuição da Pandora Filmes (Brasil).

Links Festivais:
CLFF CHICAGO: https://chicagolatinofilmfestival.org/films/
IFF PANAMÁ: http://www.iffpanama.org/peliculas
PRÉMIOS PLATINO: http://premiosplatino.com/PPla_Candidaturas.aspx
PRÉMIOS SOPHIA: https://www.academiadecinema.pt/nomeados-aos-premios-sophia-2019/

Sobre a Persona Non Grata Pictures
Fundada em 1999, a PERSONA NON GRATA PICTURES já produziu mais de 30 filmes da ficção ao documentário, em coprodução com diversos países – Brasil, Argentina, Equador, Portugal, Espanha, França, Alemanha e Moçambique.
O caráter internacional dos nossos filmes tem permitido uma grande circulação em festivais de todo o mundo,
bem como a exibição nos circuitos comerciais das salas de cinemas e televisão.
Os nossos filmes refletem a cultura, o pensar e o imaginário dos países de origem, através da visão dos seus criadores, produzindo obras com cunho autoral e de estreita ligação com o público.
Privilegiamos projetos com apelo internacional através de coproduções, onde os nossos filmes têm beneficiado nos últimos anos do apoio das instituições internacionais como o Ibermedia, Media, ICA (pt), ANCINE (br) e CNC (fr).
A PNG PICTURES é dirigida pelos produtores Tathiani Sacilotto e António Ferreira.

46514689_913706632172527_3538588546895970304_o

“Pedro e Inês”, de António Ferreira – antestreia a 14 de outubro

O realizador António Ferreira apresenta em outubro a sua nova longa-metragem, “Pedro e Inês”, um filme que faz ressoar o “Romeu e Julieta português” em três tempos distintos – passado, presente e futuro.

O filme, que adapta o romance de Rosa Lobato Faria “A Trança de Inês”, conta com antestreia a 14 de outubro, no Teatro Académico de Gil Vicente, em Coimbra, concelho onde a maioria da obra foi rodada.

Inspirado na lenda de Pedro e Inês, o filme conta a história de Pedro, um homem internado num hospital psiquiátrico por viajar de carro com o cadáver da sua amada Inês, que recorda simultaneamente as vidas de Pedro de Portugal na idade média, Pedro Bravo no presente e Pedro Rey num futuro distópico.

 

“…este caos que vai na minha cabeça e que tantas vezes me faz confundir o tempo com o tempo com o tempo. Viajo entre o ser e não ser, entre estar e não estar e isso, deixa-me cansado, confuso, incerto. Não tenho passado nem futuro, só tenho presente e penso que essa é a minha doença.” em A Trança de Inês de Rosa Lobato de Faria

“São três histórias em três tempos diferentes, cada uma com um princípio, um meio e um fim, mas que se vão contando umas às outras”, com cenas no passado, presente e futuro a sucederem-se e a “preencherem os buracos das outras histórias”, disse à agência Lusa António Ferreira, realizador de Coimbra a residir no Brasil.

Apesar de serem três histórias distintas, “fica a sensação de que é tudo uma”, resumiu.

Entre outros, o elenco do filme é composto pelos atores Diogo Amaral (Pedro), Joana de Verona (Inês), Vera Kolodzig (Constança), Custódia Gallego (Beatriz), Cristóvão Campos (Estevão), João Lagarto (Afonso) e Miguel Borges (Pero Coelho).

A ideia de adaptar o romance de Rosa Lobato Faria já surgiu há vários anos, quando entrou em contacto com o livro, mas só agora foi materializada devido à demora em conseguir financiamento.

“Achei que dava um filme espetacular. É uma abordagem inovadora. Não é um filme histórico, mas uma releitura total do tema, com uma estrutura narrativa contada em vários tempos”, explicou, considerando que o romance é uma “forma fresca de se falar de um tema sobejamente conhecido e até chato”, ainda para mais para uma pessoa de Coimbra, palco histórico do romance: “Já não podia mais com o Pedro e Inês”.

Segundo António Ferreira, “é um filme muito ambicioso, do ponto de vista de produção” – com coprodução de três países (Brasil, França e Portugal) -, dispendioso e que contou com “um milhar de figurantes em Coimbra e com ‘décors’ muito difíceis”.

“Filmar a Idade Média sem muito dinheiro é um desafio. Mesmo com um orçamento modesto, conseguimos fazer um filme exuberante que não fica a dever nada a um grande filme”, vincou.

Em termos estéticos, o realizador optou por usar o mesmo tipo de olhar e movimento de câmara para os diferentes tempos, deixando de parte a ideia de usar uma espécie de coloração diferente para cada época.

O projeto que começou a ser desenhado há dez anos vê agora a luz do dia em outubro.

Depois da antestreia em Coimbra, o filme vai ser exibido em salas de cinema de todo o país, a partir de 18 de outubro.

Para fevereiro de 2019, já está programada a estreia do filme para o Brasil, com a equipa a assumir o objetivo de internacionalizar a história de Pedro e Inês, o “Romeu e Julieta português”.

Sérgio Duarte – Vencedor do Prémio Videógrafo do Ano 2018

sergio 2Sérgio Duarte, 42 anos, nasceu e vive em Coimbra.

Vencedor de vários prémios nacionais e internacionais, Sérgio Duarte é o grande Vencedor do Prémio Videógrafo do Ano 2018.

Mais uma vez Coimbra mostra que tem talentos reconhecidos em Portugal e no estrangeiro e que são desconhecidos e ignorados pela nossa cidade.

Atualmente realiza Workshops em Portugal e no estrangeiro.

“No inicio da sua carreira nem se quer se tinha ainda apercebido que estava a iniciar uma carreira. Não dava importância a esse precioso facto e para ele não era uma prioridade aprofundar o seu conhecimento.

Estava estagnado, pensando que era possível evoluir, inventando e remediando as duvidas por ele próprio.

Foi então que tomou a decisão de procurar ajuda e conhecimento, participando em inúmeras formações  com grandes mestres e realizadores de cinema.

Nele explodiu então uma paixão enorme pela sua profissão e um desejo insaciável de aprender cada vez mais.

Com o passar do tempo desenvolveu a sua própria linguagem e, porque adora comunicar e a pedido de muitos seguidores, começou então em 2013 a sua saga de workshops e seminários pelo mundo fora. Nestas sua jornadas já ajudou muitos colegas a saírem inspirados para a rua e acreditarem neles próprios.

Com a sua experiência no terreno e na vida tem muitos profissionais no seu processo de formação, que agora se sentem livres e confiantes para criar.”

Na narrativa de um filme, a banda sonora é a sua paixão e a sua inspiração; e é a partir dela, que sempre se formam os turbilhões de ideias e de imagens na sua mente.

https://www.sergioduarte.org/

“Ljubav Je” it will shake your senses .

Once again I had the pleasure to tell a story about a true love.
The pure Serbian Soul in its apogee.
Endless emotions in a mix of joy and pain.

Love is you and Love is me…

 

PT: PASSOS NO TEMPO conta-nos a maravilhosa história de vida da família Passos.
Uma jornada de 40 anos que abraça 3 gerações!

 

 

Caminhos Film Festival – 20 e 24 de novembro

O Caminhos Film Festival anuncia a programação da Selecção Ensaios, cujas sessões se realizarão exclusivamente na cidade de Leira entre os dias 20 e 24 de Novembro.

O Teatro Miguel Franco e o Museu da Imagem em Movimento (m|i|mo), são os espaços que vão receber a Selecção Ensaios, entre os dias 20 e 24 de Novembro.

A Selecção Ensaios (nacionais e internacionais), contempla filmes produzidos em contexto académico por criadores de amanhã, e uma oportunidade única para assistir e comparar o cinema que se produz nas academias nacionais e internacionais, com um total de 247 filmes aceites, sendo 71 deles da responsabilidade de escolas ou alunos portugueses e 176 estrangeiros.

Este ano, destacam-se nesta secção, obras como A instalação do medo de Ricardo Leite baseado na obra de Rui Zink que conta no elenco com os actores Margarida Moreira, Nuno Janeiro e Cândido Ferreira.O amor é lindo… porque sim! de Vicente Alves do Ó, conta com a participação de alunos da Escola de Actores (ACT), e nomes consagrados como Inês Patrício, Maria Rueff, João Maria, Carolina Serrão, Ana Brito e Cunha e Sílvia Rizzo, que dão vida às personagens nesta comédia portuguesa. Também a obra de Liliana Gonçalves e Francisco Neves, TURP será outro destaque desta selecção. Uma curta-metragem selecionada para o “Short Film Catalog“, Festival Corner em Cannes e que conta no elenco com o bem conhecido actor José Fidalgo.
Também já foi anunciada a Selecção Caminhos, a principal secção competitiva do festival, que representa as principais obras produzidas em Portugal e que contempla os principais prémios do Caminhos, onde se destacam as obras Zeus de Paulo Filipe Monteiro, Cartas de Guerra de Ivo M. Ferreira, Ascenção de Pedro Peralta, Balada de um Batráquio de Leonor Teles, A um Mar de Distância de Pedro Magano, entre muitas outras obras representativas do bom cinema que se faz em Portugal. As sessões da Selecção Caminhos realizam-se como habitualmente no Teatro Académico Gil Vicente, e também no Mosteiro de Santa Clara-a-Nova em Coimbra.

Para além destas duas secções, festival apresenta ainda a e ainda a Selecção Caminhos Mundiais, secção não competitiva do festival, que integra curtas-metragens, documentários, filmes experimentais, animação e longas-metragens que permitirá uma introdução à cinematografia chinesa aos diferentes públicos, mas igualmente um despertar da curiosidade sobre uma outra forma de olhar o mundo.

Em breve toda a programação será divulgada.

Toda a programação do festival está disponível em:

http://caminhos.info/pt/programacao/programacao-2016/

O Caminhos Film Festival realiza-se entre os dias 19 e 26 de Novembro, como habitualmente no Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra e pela primeira vez apresenta-se por novos caminhos, e leva o melhor cinema português à cidade de Leiria.

Para mais informações, consulte o site e a página de facebook do festival:
http://caminhos.info/

https://www.facebook.com/caminhoscinema/

 

APOIO: Coimbra Canal

XXI Caminhos Film Festival

caminhos cinema

O Caminhos Film Festival anuncia a programação completa de todas as sessões do festival que decorre em Coimbra de 27 de Novembro a 5 de Dezembro.

Selecção Caminhos, Selecção Ensaios Nacionais e Ensaios Internacionais, Caminhos Juniores e Caminhos Mundiais. São mais de cinquenta sessões que se irão dividir este ano entre o Auditório do Conservatório da Música de Coimbra (ACMC), o Teatro Académico Gil Vicente, Museu da Ciência da Universidade de Coimbra e,pela primeira vez, as salas de cinema NOS do Fórum Coimbra. Um total de cento e noventa e oito obras cinematográficas a serem exibidas ao público, divididas entre as várias secções do festival.

 

HEPICAT | a film by NUNO PORTUGAL (2010)

SYNOPSIS
A film about the incommunicability of two worlds.

Directed by Nuno Portugal
Written by Miguel Triantafillo
Production PERSONA NON GRATA PICTURES
M/6 – 12 min – Portugal 2010

Elenco
Mamadu Infali Cassamá — ABDUL
Mariana Alves — MARIANA
Rui Damasceno — PAI
Alexandra Silva — MÃE
Yannick Jô Baptista –AMIGO
Domingos — AMIGO
Rui Egas — POLÍCIA
Cláudio Oliveira (Kilas) — POLÍCIA

Realização
Nuno Portugal

Produtores
António Ferreira
Tathiani Sacilotto
Argumento
Miguel Triantafillo
Fotografia
Paulo Castilho
Produção executiva
Tathiani Sacilotto
Chefe de Produção
Inês Prazeres
Musica original
Ludgero Zorro e João Moura
Figurinos
Tathiani Sacilotto
Montagem
Nuno Portugal
Tiago Sousa
Grading
Leandro Silva
Maquilhagem
Andreia Fernandes
Assistente de Produção
Dário Ribeiro
Assistente de imagem
Leandro Silva
Assistente de realização
Sandra Castiço
Assistente de guarda-roupa
Bárbara Queirós
Anotadora
Sandra Castiço
Som Directo
Simão Lopes
Perchista
Miguel “Madeira” Franco
Misturas Áudio
Gil Figueiredo
Masterização Áudio
Toni Lourenço
Chefe electricista
Daniel Batista
Chefe maquinista
Leandro Silva
Assistente electricista
Miguel “Madeira” Franco
Dário Ribeiro
Grupistas
Patrick Carter-Fea
Dvd authoring
Simão Lopes
Videos e Fotografias em África
Pedro Gonçalves, estúdio A IMAGEM
Carlos Neves e Edmundo Vaz
Figuração
Ana Carolina
Bárbara Queirós
Bruno Queirós
Isabel Andrade
Miguel Lança
Sara Gabriel
Ana Beatriz
Catering
Sal e Açucar
Ida e Volta
Cantinas da UC
equipamento audio e vídeo
PNG STUDIO
equipamento luz e maquinaria
SMILING
pós-produção vídeo
Sofá Filmes
pós-produção áudio
LoudStudio

Agradecimentos, por ordem alfabética
Alves Bandeira e Filhos, LDA.
AMI
Bonifrates
Sr. Cunha
Cláudio Oliveira (Kilas)
Dan Cake
David Monteiro
Egas
Fagoral
Ida e Volta
Ilya Semionoff
Jorge Mendes, decorações
José Ricardo Nóbrega
Loja do Chinês
Ludgero Zorro
Miguel Rosa
Moradores da Rua do Corpo de Deus
Raúl Botellero
Sal e Açucar
Santos Silva
SASUC — Dr. Melo e Fucionários das Cantinas
Segafredo
SMTUC — Administração e Funcionários
Teatrão
T’Irene (Dona Irene e Sr. Paulo)
TURISMO E.M
E a todos os figurantes.

O realizador gostaria de agradecer a:
A toda a equipa ZED
Ilya Semionoff
José Ricardo Nóbrega
Maria De Lurdes
António José Portugal
Maria Gabriela Tavares
Tiago Sousa
Miguel Rosa
António Ferreira
Tathiani Sacilotto
Filmado em Coimbra — Agosto de 2009

uma produção
PERSONA NON GRATA PICTURES
www.pngpictures.com

www.pngpictures.com/hepicat

© PERSONA NON GRATA PICTURES
PORTUGAL 2010

FUTEBOL DE CAUSAS | 70min | subs (2009)


O regime ditatorial vigente em Portugal, estendeu-se durante grande parte do século XX. Coimbra, como grande pólo universitário, viveu momentos de grande tensão e inconformismo, nos quais o seu movimento académico de grande mobilização e agitação, acabaram por desencadear e espoletar socialmente o espírito da necessidade colectiva de fazer cair o regime. Um dos principais meios de divulgação e propaganda dos estudantes e dos ideais revolucionários e reivindicativos académicos residiu na sua equipa de futebol, a Associação Académica de Coimbra, como forma de fazer chegar a mensagem e consciencializar o maior número de pessoas. A Académica transformou-se numa bandeira viva da luta estudantil e deu voz ao acordar de um povo, sendo o seu ‘toque a reunir’. Foi de resto com o luto académico, em plena ‘crise de 69’, que se viveu o ponto mais alto da posição de força estudantil com a presença da Académica na final da Taça de Portugal, na qual os jogadores, também eles estudantes e parte activa na militância da causa estudantil, aderiram ao projecto, tornando aquela final no Estádio Nacional no maior comício de sempre contra o regime. Este documentário pretende mostrar o movimento estudantil e crises académicas pelo ponto de vista dos jogadores da Académica e a forma como estes contribuíram e se envolveram na luta enquanto estudantes e Homens. As figuras centrais do documentário serão concomitantemente os dirigentes estudantis e os jogadores da década de 60, directamente envolvidos no processo.

Escrito e Realizado por : Ricardo Antunes Martins
Produzido por : António Ferreira e Tathiani Sacilotto
Direcção de Fotografia : Lee Fuzeta
Música Original : Luís Pedro Madeira
Produção Executiva : António Ferreira
Chefe de produção : Inês Prazeres
Montagem : Lee Fuzeta
Supervisor de Pós-Produção : Rodrigo Lacerda
Director de Som : Simão Lopes
Misturas Audio : Toni Lourenço / Gil Figueiredo
Pós-Produção Audio : LoudStudio
Pós-Produção vídeo : Sofa Filmes
Em co-produção com : RTP — Rádio e Televisão Portuguesa
Com o apoio financeiro do : FICA — Fundo de Investimento para o Cinema e Audiovisual
uma produção PERSONA NON GRATA PICTURES – Portugal 2009