Todos os artigos de coimbracanal

CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE O ENVELHECIMENTO – 27, 28 E 29 DE MAIO

O envelhecimento activo e saudável é, cada vez mais, um dos temas comuns a nível global, razão pela qual se realizará a 27, 28 e 29 de Maio, em Coimbra, o AgeingCongress2018 – Congresso Internacional Sobre o Envelhecimento.

Especialistas de Portugal, Brasil, Espanha e Alemanha vão juntar-se durante três dias, nas instalações da Coimbra Business School – Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC), para debater temas relacionados com o envelhecimento, partilhando perspectivas e os desenvolvimentos mais recentes nesta área.

“Criar sinergias e aproximar as pessoas que trabalham nesta área é o principal objectivo do congresso”, explicou Ricardo Pocinho, presidente da Associação de Gerontologia Social (ANGES), organizadora do evento, com quem colaborou a INTERTECH – Unidade de I&D das Universidades de Valência e Politécnica de Valência.

“O congresso serve, também, de homenagem aos mais velhos, para quem trabalhamos, até porque a velhice é, hoje, o maior suporte da maior parte das famílias e um país sem velhos é um país sem história”, reforçou o especialista, sublinhando que o evento conseguiu juntar 62 parceiros institucionais, entre universidades, institutos politécnicos, escolas superiores e outras entidades.

O congresso é direccionado para os profissionais que lidam com o envelhecimento, nomeadamente, investigadores, tendo, por isso, “um carácter bastante científico e de topo”, adiantou Ricardo Pocinho.

Com o Alto Patrocínio da Presidência da República, o evento vai contar com 15 conferências principais, divididas por nove áreas, “consideradas como as mais pertinentes”. Há, também, espaço para submissão de 90 comunicações livres (que podem ser submetidas no website do congresso), dois ateliers sobre “estimulação cognitiva” e “TIC no envelhecimento”.

Apresentação de livros, exposição de produtos e tecnologias e um concurso de fotografia “Olha(es) pelo envelhecimento”, que irá premiar as três fotografias “que melhor consigam captar momentos que caracterizem o envelhecimento em Portugal”.

Outro dos momentos importantes será a apresentação de três estudos pela ANGES, um sobre o estado de saúde física e psíquica dos cuidadores formais e informais de idosos; outro que se debruça sobre a importância das actividades de lazer e turismo nos idosos; e o último sobre a higiene e segurança no trabalho, numa perspectiva de preparação para a reforma.

Além disto, serão entregues prémios de boas práticas, bem como a distinção de uma personalidade.

No evento irá, ainda, participar um representante da Comissão Europeia para prestar esclarecimentos sobre os fundos comunitários abertos a candidaturas nesta área do envelhecimento.

O congresso conta com cerca de 202 pessoas, de oito nacionalidades, envolvidas nas suas diferentes comissões, esperando a organização que na sessão de abertura esteja presente o primeiro-ministro António Costa (caso não seja possível estará um representante do Governo) e na sessão de encerramento o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (ainda por confirmar).

As inscrições estão abertas, através do webiste www.ageingcongress.com  e até 28 de Fevereiro têm o custo de 50 euros para os profissionais e de 30 para estudantes.

A partir de Março os valores sobem para 70 euros e de 50 euros para estudantes.

(in Campeão das Províncias)

APOIO: COIMBRA CANAL

Congresso Internacional Sobre o Envelhecimento – 27, 28 e 29 de maio

A ANGES- Associação Nacional de Gerontologia Social (sediada na Escola Superior de Educação de Coimbra) em colaboração com INTERTECH, Unidade de I&D das Universidades de Valência e Politécnica de Valência e com um conjunto de instituições e universidades de várias nacionalidades, está a organizar um importante evento sobre envelhecimento, o AGEINGCONGRESS2018 – Congresso Internacional Sobre o Envelhecimento, que ocorrerá no campus da Coimbra Business School, na cidade de Coimbra nos dias 27, 28 e 29 de maio de 2018.

Visite a página do evento e efetue a sua inscrição.

HOME

APOIO: Coimbra Canal

Mensagem de Natal do Bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes

“Neste ano, em que se vive no meio de nós uma experiência tão particular de sofrimento e de dor, causada pelos incêndios que deflagraram na nossa região e na nossa diocese, quero dirigir também uma palavra de confiança, de estímulo, de verdadeiro amor e de caridade a todos aqueles que estão a sofrer, na sua pessoa ou nos seus familiares, o drama destes acontecimentos.”

D. Virgílio Antunes, Bispo de Coimbra

E SE 9 – Uma vida que ardeu, uma esperança que é necessário reconstruir

Uma vida que ardeu, uma esperança que é necessário reconstruir!

Oliveira do Hospital ardeu depois de Pedrógão. Morreram muitas pessoas, várias famílias ficaram destruídas e isso nunca ficará bem e nunca se resolverá. São marcas que ficam para a vida toda, são memórias que voltam e atormentam.
O que ardeu foi praticamente tudo.
Floresta e espaço verde de lazer. Na verdade, o verde praticamente desapareceu.
Empresas e o emprego de muita gente. Depois das mortes, este é o drama mais significativo.
Na J. Guerra, Lda trabalhavam 50 trabalhadores. Ardeu a 100%. Demorará muito tempo a voltar a laborar. Mas demorará ainda mais tempo a recuperar o ânimo, a alegria de viver. Isso é o mais significativo no que vemos.
Na empresa Construções Gouveia & Filho, Lda trabalhavam 34 trabalhadores. Ardeu a 100% e pensa estar a laborar dentro de alguns meses.
Luís Lagos, empresário e ex-presidente de uma distrital partidária, percebeu que tinha de dar um passo em frente e ajudar na reconstrução do seu concelho. Viu a desgraça perto da sua família e empresas a desaparecerem. A sua não sofreu, mas a da sua mulher foi totalmente destruída.
Os custos associados a estes incêndios medem-se em vidas perdidas, famílias destruídas, floresta perdida, negócios arrasados e um efeito muito significativo na esperança num futuro melhor. De tudo, apesar de certas coisas não terem solução, o mais difícil de recuperar é o ânimo necessário recomeçar tudo de novo. Esse é o maior custo, porque apesar de tudo a vida continua, e aquele aspeto que merece uma atenção muito especial.
Os incêndios deste verão mostram um país desorganizado e impreparado para estes eventos naturais.
O “E se…” quis mostrar essa realidade, deixando claro que é nossa obrigação garantir que vamos construir um país que estará preparado e é solidário com quem é atingido pela calamidade. E essa é uma resolução que todos temos de tomar e realizar.

“E Se…”, um programa de Norberto Pires com realização de Rijo Madeira.

E SE 8 – Coimbra com futuro: Active Space Automation

 

A região de Coimbra tem sido capaz de gerar tecnologia e negócios que se distinguem no mundo. São vários os exemplos de empreendedores, empresas e produtos que têm o nome de Coimbra de alguma forma associado. No “E se…” vamos falar dessas pessoas, dessas empresas e desses produtos. A ideia não é mentir e dizer que está tudo bem. A ideia é contar a verdade, mostrar que com a estratégia certa, com a capacidade coordenar os vários atores da região, com a capacidade de incentivar os motores de desenvolvimento, Coimbra tem condições para fixar empreendedores, atrair e fixar atividade económica e construir soluções que podem fazer a diferença nas várias áreas de atividade.

Hoje vamos ver o exemplo da Active Space Automation, uma empresa recentemente criada como spin-off da ActiveSpace Technologies – empresa criada há cerca de 13 anos e que se dedica a sistemas para o ESPAÇO.
A indústria pede sistemas de transporte para armazenamento e para ambiente produtivo.
Em armazém, por exemplo, existem várias tarefas a automatizar e que estão essencialmente ligadas ao transporte de peças para armazenar ou para constituir uma encomenda que, entretanto, foi efetuada. Um grande armazém com, por exemplo, a AMAZON ou o ALIBABA têm uma movimentação frenética que precisa deste tipo de máquinas.
De uma maneira geral, qualquer armazém com encomendas online beneficia muito de uma operação deste tipo que automatize e agilize a cadeia logística.
Em ambiente produtivo, isto é, para tarefas de alimentação de linhas com as peças necessárias, transporte de produtos semiacabados, armazenamento intermédio e final, etc., os AGV são também muito usados.

Em Coimbra, uma empresa aceitou o desafio de entrar neste mercado. Criou um AGV que pode ser utilizado em todas essas tarefas.
A empresa é a Active Space Automation e o AGV é o ActiveONE.
A Active Space Automation tem 14 trabalhadores (50 no total da Active Spce) e espera faturar cerca de 700 mil euros em 2017 (3 milhões no total da Active Space). Está localizada em Taveiro e tem excelentes condições para desenhar, projetar, construir e comercializar soluções que utilizem esta tecnologia.

Capacidade de projeto em 3D.
Capacidade de desenvolvimento de eletrónica.
Capacidade de soluções de controlo.
Meios de produção de protótipos.
Capacidades de teste.
Uma equipa jovem e fortemente motivada para este tipo de soluções.

Um dia (em 2015), com um protótipo, abordaram uma grande empresa (A AutoEuropa) e prometeram que teriam um produto em breve. Cumpriram prazos e ganharam um parceiro.

Mas o que é o ActiveONE?
É um AGV, filo-guiado, isto é, que segue um trilho eletromagnético colocado no chão (o trajeto), de construção nacional e que pode ser usado nas soluções mais exigentes: é preciso, rápido (1500 mm/s), com elevada capacidade de autonomia (em operação normal as baterias não precisam de carga durante mais de 7-8 horas), capacidade de movimentação de carga até 800 kg, ligação em rede sem fios, etc.

Deixo-vos com o ActiveOne e com a Active Space Automation. Este produto, estes empreendedores e esta empresa são um exemplo do que Coimbra pode fazer e como pode liderar mesmo nas áreas mais exigentes. São um bom exemplo de visão, de capacidade de fazer parcerias, da capacidade de realizar e mostram um vislumbre de uma região onde as coisas acontecem.
E se Coimbra estivesse focada nessa ideia de criar as condições para projetar e produzir as soluções tecnológicas do futuro? Não seria tudo diferente?

“E Se…”, um programa de Norberto Pires com realização de Rijo Madeira.