alves barbosa

ALVES BARBOSA, O HOMEM DO DIA

ALVES BARBOSA, O HOMEM DO DIA
CICLISTA, TREINADOR E COMENTADOR

O tempo passa. O tempo corre. Alves Barbosa vai correndo para ficar na história do ciclismo português como uma das personalidades desportivas mais completas nesta atrativa modalidade a qual, agora, no verão, faz o pleno em grandes provas nacionais e internacionais. Alves Barbosa foi ciclista, treinador, formador, comentador da modalidade na rádio, na televisão e nos jornais. Foi Diretor Técnico Nacional de Ciclismo. Atravessou de forma gloriosa o último meio-século anterior. Dos anos cinquenta até à curva do atual século em que democratizou ainda a prática do BTT, ALVES BARBOSA foi o grande Camisola Amarela de Portugal. Devemos quase tudo no ciclismo português ao popular Tó Barbosa, de nome completo António da Silva Barbosa. Natural da Fontela (Figueira da Foz, 24 de dezembro de 1931) ALVES BARBOSA seguiu as pisadas de seu pai que foi, também, ciclista e treinador do filho. Há ainda quem se recorde de uma Loja de Aluguer de Bicicletas, cuja clientela mais significativa era de crianças, e localizada na Marginal da Figueira perto do Grande Hotel por debaixo da Piscina Oceânica. Esta loja era cedida ao pai de Alves Barbosa, no verão, mas o campeão e popular TÓ BARBOSA era muitas vezes visto ali, na loja, e ensinou muitas crianças a andarem de bicicleta o que era igualmente objetivo desta loja (ensino do ciclismo, aluguer e arranjo oficinal das bicicletas). Este talentoso campeão residiu até aos 35 anos (idade em que deixou o ciclismo profissional) em Montemor-o-Velho que considera a sua terra. Depois foi para Lisboa onde treinou o Benfica. Esteve também na cidade de Águeda como diretor comercial da Flândria. Voltou para a capital onde exerceu diversos cargos na Federação; orienta cursos de ciclismo e dirige várias provas no país e fora e recorde-se que ganhou várias provas no estrangeiro como corredor. Esteve em vários países como formador na modalidade a convite da União Ciclista Internacional. Há cerca de 20 anos regressou à sua terra de Montemor-o-Velho no Baixo Mondego. Ali treinou jovens e criou o prémio Alves Barbosa para a juventude. Em Portugal, nos anos cinquenta, ganhou três Voltas a Portugal e não venceu todas porque num ano (1952) ficou inibido de participar por estar a cumprir o serviço militar obrigatório; em 53 e 54 não houve Volta a Portugal quando a supremacia de Alves Barbosa era ainda mais evidente. Em 1955 é agredido por espectadores, perto da cidade do Porto, quando já era camisola amarela e ia ganhar a etapa e a Volta com um avanço significativo. Foi, provavelmente, o melhor desportista português de sempre. O cinema aproveitou-se da sua popularidade e houve um filme português rodado em 1958 com o título O HOMEM DO DIA em que Alves Barbosa foi protagonista e MOTIVO TEMÁTICO para captar um público que começava a fugir das salas de cinema para a recém-chegada televisão. Contracenou, então, com a terna, doce e bonita Maria Dulce professora numa Escola Primária da localidade onde morava o Patela o qual gostava, tal como Alves Barbosa, da professora Clara. Duas equipas de ciclismo rivais, dois pretendentes à professora Clara e esta a dar preferência nesta ficção fílmica ao Tó Barbosa que venceu por honradez e simpatia a maldade do Patela, conquistando, assim, o coração de Clarinha. A história reflete e comprova a popularidade de ALVES BARBOSA.
Recentemente foi comemorado o 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades portuguesas, o dia dos nossos heróis. Teria sido um excelente dia para Montemor-o-Velho, Figueira da Foz ou Coimbra terem inaugurado uma ciclovia com o nome de Alves Barbosa ou uma estátua homenageando em vida quem já ganhou um lugar de relevo no ciclismo português e internacional. Já sugerimos que a Universidade de Coimbra, em concreto a Faculdade de Ciências do Desporto, atribuísse o título de Doutor Honoris Causa a Alves Barbosa até porque este campeão produziu bibliografia relevante sobre a modalidade. Ainda acredito que o atual município de Montemor-o-Velho venha a colocar no recinto da Feira ou na Rotunda de acesso à Pista de Remo uma estátua de Alves Barbosa.
O COIMBRA CANAL irá pedalar sempre (e também) pelos grandes vultos do desporto da nossa Região de Coimbra e da nossa Região Centro. ALVES BARBOSA será sempre o nosso “HOMEM DO DIA” com ou sem estátua…com ou sem homenagens…com ou sem Museu Alves Barbosa. Ainda temos de pedalar um pouco mais até merecermos esta glória do ciclismo português. Na Figueira e em Montemor-o-Velho, numa ideia lançada por Stélio Amaral da Silva Coelho, está a ser constituída uma COMISSÃO para levar até à META o nome de ALVES BARBOSA. Daremos em breve mais pormenores e o email para quem quiser integrar este Grupo ou Comissão que pretende agradecer a ALVES BARBOSA o muito que fez por Portugal e pelo resto do mundo ao nível do ciclismo. O SENHOR CICLISMO, HOMEM DO DIA, ALVES BARBOSA, merece grande gratidão.

Sansão Coelho